Veja as filosofias da gestão da produção

PUBLICADO POR:

Letícia GuimarãesLetícia Guimarães

ATUALIZADO EM:

09 de Outubro de 2023

O que diferencia uma indústria da outra são as filosofias da gestão da produção. São elas que ajudam os gestores a lidar com as mudanças no mercado e garantir mais competitividade ao negócio.

No artigo, vamos explicar o que são as filosofias de gestão, assim como as suas principais características. Continue a leitura!

O que são as filosofias de gestão?

As filosofias de gestão da produção se desenvolveram ao longo das últimas décadas para garantir a produtividade e a qualidade em mundo de avanços tecnológicos.

A escolha por uma filosofia depende daquilo que faz sentido para a produção e os valores da empresa. Afinal, ela envolve um conjunto de táticas que envolvem os fatores humanos do negócio, podendo passar por aprimoramentos ao longo do tempo.

Abordaremos 3 filosofias da gestão da produção neste artigo:

  • Lean Manufacturing;
  • Teoria das Restrições;
  • Gestão da Cadeia de Suprimentos;
  • Six Sigma.

A seguir, você vai conhecer cada uma delas e os seus principais benefícios!

Lean Manufacturing ou Manufatura Enxuta

O lean manufacturing envolve a diminuição de custos e desperdícios, por meio da adoção de estoques mínimos. Dessa forma, também se chama “produção puxada”, em que a liberação da ordem de fabricação acontece conforme a solicitação da demanda.

Esse método visa eliminar qualquer tipo de desperdício no processo produtivo, como em relação aos insumos ou ao tempo gasto na linha de montagem.

O conceito de lean manufacturing surgiu do Japão, em 1950, como uma solução para a indústria automobilística que enfrentava sérios problemas após a Segunda Guerra Mundial. Inicialmente, chamava-se Sistema Toyota de Produção (STP),uma vez que sua implementação se deve à montadora japonesa, que utiliza os preceitos até hoje.

O objetivo do método é a melhoria contínua e a indústria segue colhendo os frutos de sua incorporação. 

Por meio das ferramentas da manufatura enxuta é possível aumentar a produtividade sem comprometer a qualidade. Por isso, baseia-se em alguns preceitos:

  • Just in time;
  • Jidoka, ou automação com toque humano;
  • Heijunka, o alinhamento da produção conforme demanda;
  • Padronização do trabalho;
  • Kaizen, a melhoria contínua.

Com a aplicação dos cinco princípios, a empresa consegue reduzir gargalos em vários setores, como logística e controle de estoque.

Teoria das Restrições

A teoria das restrições (ou Theory of Restrictions, em inglês) é uma filosofia da gestão da produção que foca no gerenciamento das restrições para melhorar o desempenho.

Desse modo, na produção industrial, visa identificar os gargalos do processo produtivo, para aumentar a produtividade e reduzir os custos.

Este é o seu principal princípio: “um sistema é tão forte quanto a sua restrição mais fraca”. Sendo assim, os gargalos podem impedir que o sistema atinja o seu potencial máximo.

O método foi desenvolvido por Eliyahu Goldratt, um físico israelense, em 1980. A teoria das restrições enfatiza a necessidade de encontrar a restrição crítica, definir alternativas e avaliar os efeitos da mudança em todo o sistema.

Portanto, inclui passar pelos seguintes passos:

  • Identificação da restrição;
  • Exploração da restrição;
  • Subordinação das outras áreas à restrição;
  • Elevação da restrição;
  • Repetição do processo;

A premissa é de que as restrições podem ser físicas e não físicas, internas e externas. Cada uma precisa ser resolvida de uma vez, para que a empresa alcance as suas metas.

Gestão da cadeia de suprimentos

A gestão da cadeia de suprimentos, ou supply chain, é uma abordagem mais clássica que busca integrar as partes do sistema, por meio da tecnologia da informação.

Dessa forma, o método busca gerenciar os fluxos da empresa com os cliente de modo estratégico. Isso deve acontecer por meio de sistemas internos, eliminação de retrabalhos e envolvidos na cadeia de suprimentos.

A ideia é ganhar agilidade e reduzir o custo logístico, para aumentar a competitividade no mercado.

Algumas vantagens do mapeamento da cadeia de suprimento são:

  • Análise das matérias-primas que podem atrasar;
  • Facilidade na investigação de gargalos na cadeia;
  • Otimização da gestão de estoque;
  • Evolução no gerenciamento de riscos

Six Sigma

Six Sigma ou Seis Sigma é um conceito muito conhecido e que tem recebido muita publicidade, devido ao esforço da General Electrics, por meio do CEO aposentado, Jack Welch.

As raízes desse método estão na Motorola, mas se popularizou por meio da publicação Análise de Produção Six Sigma e Caracterização de Processos, pela universidade corporativa da empresa.

Esta técnica tem o objetivo de gerar produtos de qualidade “Six Sigma”, ou seja, com menos de 3,4 defeitos por milhão de oportunidades. Após a disseminação da metodologia como uma ferramenta para a resolução de problemas, surgiram as certificações Six Sigma Blackbelt e Greenbelt.

Com esse conjunto de ferramentas, é possível estimular a resolução de problemas em qualquer tipo de negócio.

A implementação da metodologia possui cinco fases, resumidas na sigla DMAIC: definir, medir, analisar, melhorar e controlar.

Entenda cada um dos passos:

  • Definir: é importante questionar qual é o problema e como ele afetou a empresa.
  • Medir: envolve a observação do que o sistema já possui para entender o que não funciona.
  • Analisar: momento de avaliar as descobertas da fase de medição, para encontrar a causa raiz.
  • Melhorar: hora de pensar em possíveis soluções.
  • Controlar: implementação do novo processo e continuar a propor melhorias.

Conclusão

Há várias filosofias de gestão da produção que podem ser aplicadas para otimizar a produtividade da sua indústria. Elas diferenciam os processos e garantem o refinamento do controle de qualidade do negócio.

Neste artigo, abordamos quatro filosofias de gestão:

  • Lean manufacturing: também conhecida como manufatura enxuta e que colabora na redução de desperdícios na produção, assim como na otimização de tempo na linha de montagem.
  • Teoria das restrições: metodologia que visa a identificação de restrições críticas que podem estar afetando todo o sistema.
  • Gestão da cadeia de suprimentos: método clássico de gerenciamento da supply chain, visando a melhoria de todos os pontos de contato com o cliente e stakeholders.
  • Six Sigma: filosofia que visa a melhoria contínua do negócio, por meio da inteligência na resolução de problemas.

No Blog Korp, você confere vários conteúdos sobre temas relevantes para a produção industrial e o controle de qualidade. Para continuar aprendendo, recomendamos também estes outros artigos:

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Letícia Guimarães é professora, publicitária e mestre em Comunicação (UFPR).

ARTIGOS RELACIONADOS

Kaizen: o que é e como aplicar na indústria

24 de maio de 2024

Continuar lendo

Galvanização: o que é, tipos e etapas

22 de maio de 2024

Continuar lendo