Transporte intermodal: como funciona?

PUBLICADO POR:

Letícia GuimarãesLetícia Guimarães

PUBLICADO EM:

21 de junho de 2023

Conhecer as ramificações da logística, como o transporte intermodal, é fundamental para melhorar as operações do seu negócio. Isso porque entender a diferença entre cada estratégia vai permitir a otimização das suas importações e importações.

Entender a diferença entre transporte intermodal e transporte multimodal permite escolher a melhor modalidade para cada operação de comércio exterior. Portanto, você pode otimizar o traslado e reduzir cursos.

Para o transporte ser considerado intermodal, precisa passar por ao menos duas opções, que podem ser aéreo, ferroviário, rodoviário, aquaviário, dutoviário, entre outros. 

Por isso, vamos explicar melhor o que é a modalidade e quais são as suas aplicações na logística da sua indústria. Vamos lá?

O que é transporte intermodal?

Antes de aprender sobre transporte intermodal, você saberia dizer o que é um modal de transporte?

O modal de transporte é a modalidade que você escolhe para o deslocamento de pessoas ou cargas. Sendo assim, inclui segmentos como o rodoviário, ferroviário, aquaviário, aéreo e dutoviário.

Em resumo, vamos explicar cada um deles:

  • Rodoviário: utiliza rodovias para o transporte;
  • Ferroviário: transporte por ferrovias;
  • Aquaviário: utiliza a água de rios ou mares;
  • Aéreo: transporte pelo ar;
  • Dutoviário: dutos para o transporte.

Desse modo, cada modalidade exige a contratação de prestadores de serviço especializados. Por isso, para escolher o melhor para o seu negócio, é preciso se atentar a que tipos de modais eles atendem, uma vez que algumas empresas só atendem a uma categoria, como a rodoviária.

Dessa forma, o transporte intermodal acontece quando se usa mais de um modal para levar a carga até o seu destino. Você pode precisar contratar diferentes operadores logísticos, que oferecem transportes distintos.

Um exemplo é a movimentação de uma carga de Ponta Grossa (PR) a Belém (PA). Nesse caso, você poderia mandar a carga de caminhão da sua fábrica até outra cidade que possui um aeroporto, como Curitiba (PR),e enviar de avião até Belém (PA). Em seguida, outro caminhão poderia levar a carga até o destino final.

Em casos como este, quando três operadoras diferentes concretizam o transporte, podemos chamá-lo de intermodal.

Como é o transporte de cargas no Brasil?

O transporte intermodal pode ser uma estratégia para uma logística mais eficiente, pois as cargas não dependem de um único modal. Como o Brasil é um país dependente de rodovias, muitas vezes, a sua empresa pode ficar refém dessa modalidade por não diversificar o transporte.

O boletim da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostra que o transporte de cargas no Brasil é dependente do setor rodoviário. Nesse sentido, o modal possui participação de 61,1% no país. Confira a participação dos outros modais na imagem abaixo!

transporte-intermodal

 

Portanto, ele pode otimizar a cadeia logística dos transportes, reduzindo gargalos no despacho e ampliando as possibilidades de entrega.

Qual é a diferença entre transporte multimodal e intermodal?

Existem algumas diferenças entre transporte multimodal e intermodal. 

A primeira está na documentação, já que no multimodal só é necessário um documento para toda a operação, enquanto no intermodal cada etapa precisa de um documento específico para a liberação aduaneira. Sendo assim, as transportadoras se responsabilizam pelos seus trechos. O resultado é que todos os participantes da cadeia logística dividem os riscos e os custos.

Outra diferença está nos tipos de contrato utilizados. O modelo multimodal envolve todo o trajeto, exigindo um contrato mais detalhado. Por outro lado, no transporte intermodal, cada mudança de modal implica em um novo contrato, uma vez que cada um será responsável por uma etapa do trajeto.

A mesma coisa acontece na definição de profissionais responsáveis. Ao tratar do transporte multimodal, há um agente responsável, geralmente, o Operador de Transporte Intermodal. No transporte intermodal, as responsabilidades são divindades entre os participantes.

Quais as vantagens do transporte intermodal?

O transporte intermodal é um parâmetro para avaliar a maturidade logística de um país. Afinal, depender de um único modal demonstra um obstáculo para o desenvolvimento do setor, devido à falta de planejamento de transporte.

O investimento na combinação de diferentes prestadores de serviço traz vários benefícios à logística, como:

  • Mais possibilidades na negociação de preços e prazos;
  • Maior competitividade no setor;
  • Aumento da flexibilidade da operação de transporte;
  • Maior compromisso no cumprimento de prazos, entre outros.

O que é um terminal intermodal?

O terminal intermodal conecta mais de um modal de transporte. Portanto, são úteis para transferir a carga de um modal para o outro, com toda a infraestrutura necessária.

Mesmo assim, isso exige muito planejamento e controle, pois são utilizados por várias empresas concomitantemente. O cuidado com a documentação faz toda a diferença na eficiência desse serviço.

O Brasil possui alguns terminais intermodais:

  • Terminal Intermodal de Jundiaí (SP);
  • Terminal intermodal de Serra (ES);
  • Terminal Intermodal Urbano de Maringá (PR);
  • Terminal Intermodal Sul (SC);
  • Terminal Intermodal de Porto Seco (MS);
  • Terminal Intermodal de Campinas (SP).

 

Como otimizar o transporte intermodal com tecnologia?

A indústria precisa usar a tecnologia para garantir a melhor eficiência de seus processos. Por isso, os desafios do transporte intermodal, como a gestão de diferentes contratos e fornecedores, também podem se beneficiar de um sistema integrado de gestão, como o ERP.

O Viasoft Korp ERP tem a sua raiz na indústria, oferecendo módulos que contemplam o chão de fábrica até as áreas mais administrativas.

A solução conta com diversas ferramentas logísticas, como:

  • MRP: planeja as necessidades da produção de acordo com a cadeia comercial;
  • WMS: gerencia os armazéns, facilitando a gestão do estoque;
  • Planejamento de carga para a produção: integra as rotinas de vendas e separação de pedidos;
  • EDI: intercâmbio de dados de pedidos com mais eficiência e agilidade;
  • Controle de série de produção: mantém a rastreabilidade por meio do número de série.

Contar com uma solução especializada em indústria garante mais assertividade nos processos do seu negócio. Por isso, procure saber mais sobre o seu fornecedor para implementar a tecnologia na sua empresa. 

Saiba mais sobre o Viasoft Korp ERP!

 

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Letícia Guimarães é professora, publicitária e mestre em Comunicação (UFPR).

ARTIGOS RELACIONADOS

Gestão logística: guia completo

04 de dezembro de 2023

Continuar lendo

RFID: o que é essa tecnologia?

30 de novembro de 2023

Continuar lendo