PPAP: Processo de Aprovação da Peça de Produção

PUBLICADO POR:

Letícia GuimarãesLetícia Guimarães

PUBLICADO EM:

12 de junho de 2023

O Processo de Aprovação da Peça de Produção (PPAP) é um documento utilizado na indústria automobilística. Ele estabelece um padrão entre os negócios e seus fornecedores de insumos para a produção.

Desse modo, trata-se de um processo relevante para a padronização e eficiência na indústria. Neste artigo, vamos explicar o que é o PPAP e os seus principais elementos. Vamos lá?

O que é PPAP?

O PPAP é a derivação do APQP-PPAP, um processo desenvolvido no fim dos anos 1980, por experts de três grandes empresas automobilísticas: Ford, General Motors e Chrysler. Durante cinco anos, os profissionais analisaram o estado da produção automotiva nos Estados Unidos, Europa e Japão.

Sendo assim, trata de uma série de requisitos de como a indústria deseja o produto, como as suas características técnicas e layout. Com essas informações, os fornecedores podem realizar todo o planejamento do processo de fabricação e testes. Portanto, é uma forma de mostrar que o fornecedor tem a expertise para entregar o produto, com base em testes e resultados.

Nesse sentido, os fornecedores precisam seguir as técnicas do APQP-PPAP, além de serem auditados e certificados de acordo com a norma IATF 16949.

Agora, o PPAP é definido por um manual da AIAG (Automotive Industry Action Group),que contém diversos documentos relevantes para a indústria automobilística. Além dele, outros documentos importantes são:

  • CEP: Controle Estatístico do Processo;
  • MSA: Análise do Sistema de Medição;
  • FMEA: Análise de Modo e Efeitos de Falha Potencial.

Dessa forma, o Processo de Aprovação de Peça de Produção auxilia fabricantes e fornecedores a melhorarem a sua comunicação. Então, seus objetivos são a compreensão mais clara dos requisitos e a garantia de produção de peças consistentes durante a rotina produtiva.

Quais são os elementos do PPAP?

ppap

 

O manual do PPAP é um documento essencial para os fornecedores automotivos gerirem a qualidade de seus produtos. Isso porque ele contém uma lista de verificação, com todos os elementos para um pacote completo, em que se identificam diferentes níveis de PPAP (de 1 a 5).

  • Nível 1: o pedido de submissão de peça (PSW) foi enviado ao cliente;
  • Nível 2: PSW com amostras e dados limitados;
  • Nível 3: PSW com amostras e dados completos;
  • Nível 4: PSW e outros requisitos de acordo com as definições do cliente;
  • Nível 5: PSW com amostras e dados completos, disponíveis para revisão no local de fabricação.

Na indústria automobilística, há 18 elementos que podem ser concluídos ao longo do desenvolvimento do processo de produção, sendo que a indústria aeroespacial compartilha um conjunto parecido. Desse modo, os níveis de PPAP demonstram os requisitos necessários para cada elemento, indicando aqueles que precisam chegar ao cliente. Veja uma lista de com uma breve descrição de cada elemento!

Histórico do desenho

A cópia do desenho deve estar gravada no projeto. Caso o cliente seja o responsável, esta cópia será emitida junto com a ordem de compra. Caso o fornecedor seja o responsável, a liberação do desenho vai acontecer no momento da liberação do fornecedor.

Documento de Mudança de Engenharia Autorizada

Documento do projeto original que mostra em detalhe a descrição das mudanças.

Aprovação de Engenharia

É o momento da experimentação com as peças produzidas na indústria do cliente, por parte da engenharia. Requer-se um “desvio provisório” para emitir as peças antes do PPAP.

DFMEA

DFMEA significa Análise da Modalidade e do Efeito de Falha do Projeto, documento que precisa passar pela revisão e assinatura do fornecedor e do cliente. Caso o cliente seja o responsável pelo projeto, pode não compartilhar o original com o fornecedor. Porém, as características do impacto do produto precisam ser compartilhadas com o fornecedor.

Diagrama de Fluxo de Processo

Indicação das etapas e sequências da fabricação.

PFMEA

A sigla significa Processo de Análise e Modalidade do Efeito de Falha, que precisa passar por assinatura do fornecedor e cliente. Ele mostra as etapas do processo e indica os erros que podem acontecer na fabricação de cada componente.

Plano de Controle

O plano de controle deve passar pela assinatura do fornecedor e do cliente. Além disso, precisa seguir as etapas do PFMEA e incluir mais detalhes, como possíveis alterações que a qualidade deve verificar na inspeção dos produtos.

Estudos da Análise do Sistema de Medidas (MSA)

O MSA contém uma descrição das características críticas e a calibragem a ser usada para medi-las.

Resultados Dimensionais

A lista de resultados dimensionais demonstra características e especificações do produto, além dos resultados da medida e da avaliação. Sendo assim, sabemos se foi “aprovada” ou “não aprovada”. 

Registros de material / Teste de performance

Este elemento se refere aos testes do sumário de cada teste executado na divisória. Tal sumário se encontra em um formulário de DVP&R (Planta e Relatório da Execucão do Projeto),evidenciando várias informações, como a data de execução, especificação, resultados e passagem da avaliação. Os grupos de engenharia do cliente e o fornecedor deverão revisar e assinar o documento. Além disso, a seção cita todas as certificações materiais do projeto, mencionando as suas conformidades.

Estudos do processo inicial

Os Estudos do Processo Inicial são uma seção que indica todas as cartas estatísticas do controle do processo que podem afetar as características mais críticas. Portanto, tem o objetivo de mostrar a estabilidade dos processos críticos.

Documentação dos Laboratórios Selecionados

Estas são as cópias da documentação de todas as certificações daqueles que executaram os testes.

Relatório de Aprovação de Aparência

Este elemento é uma cópia do relatório da aprovação de aparência do formulário de inspeção, que precisa ser assinado pelo cliente. Pode ser aplicável aos componentes que afetam a aparência.

Amostra das Partes de Produção

Corresponde à produção de amostras do mesmo lote da produção inicial. No caso do pacote PPAP, ele mostra um retrato da amostra e onde é mantido, no cliente ou fornecedor.

Amostra mestra

Esta é a amostra aprovada e assinada tanto pelo cliente quanto pelo fornecedor. Sendo assim, poderá ter uso no treinamento de operadores em inspeções subjetivas, como visuais ou sonoras.

Verificações adicionais (dispositivo automático de entrada)

Nos casos em que há ferramentas específicas para verificação de peças, as amostras são retratos da ferramenta e os registros da calibração. Inclui também o relatório dimensional da ferramenta.

Exigências Específicas do Cliente

Este elemento pode incluir exigências específicas que o cliente pode incluir no pacote de PPAP. Desse modo, antes de citá-las, é necessário pedir ao cliente as suas expectativas.

Certificado de Submissão de Peça (PSW)

O certificado nada mais é que o formulário que sintetiza todo o processo do PPAP; Ele mostra o motivo da submissão, como uma revalidação anual ou uma alteração, e o nível dos originais. Em uma das seções, deve-se colocar os resultados que se alinham a todas as exigências do desenho e da especificação. Havendo divergências, é necessário anotar que o PPAP não pode ser submetido.

Por que é importante negociar o PPAP?

Como o PPAP se assemelha a um plano estratégico, ele garante transparência e assertividade nas negociações entre cliente e fornecedor. Sendo assim, como o PPAP varia de acordo com a situação, é necessário que a negociação ocorra antes de iniciar os processos. Com isso, ambas as partes alinham as suas expectativas.

Em todo caso de novo envio de peças, assim como em alterações em componentes, o cliente pode solicitar o PPAP. Por isso, é necessário ter um sistema de qualidade que garanta e documente todos os registros.

Viu só como é importante manter a padronização dos processos? Então, para aprender mais sobre a qualidade na indústria, continue lendo o blog Korp:

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Letícia Guimarães é professora, publicitária e mestre em Comunicação (UFPR).

ARTIGOS RELACIONADOS

Gestão logística: guia completo

04 de dezembro de 2023

Continuar lendo

Capacidade ociosa: entenda a importância para a gestão

30 de outubro de 2023

Continuar lendo