O que é automação industrial e como aplicar?

PUBLICADO POR:

Letícia GuimarãesLetícia Guimarães

ATUALIZADO EM:

15 de Maio de 2023

A automação industrial é uma área ampla e que pode gerar várias dúvidas. Se você busca a transformação digital no seu negócio, já deve ter se deparado com esse termo que é vital para o avanço do seu negócio.

Com o crescimento da sua indústria e o aumento das exigências do mercado, é necessário contar com medidas que aumentem a sua produtividade. Mas vale enfatizar que não se trata da mera substituição de pessoas por máquinas.

Na verdade, a automação industrial significa colocar os humanos em lugares mais estratégicos. Assim, as atividades repetitivas ficam por conta das máquinas e a sua equipe lida com tomadas de decisões relevantes para a organização.

Além disso, você vai encontrar essa ferramenta nos mais diversos setores e não apenas no chão de fábrica.

Se você se interessa por este tema, continue acompanhando o artigo. Vamos explicar o que é a automação industrial e como você pode aplicá-la na sua indústria!

O que é automação industrial?

A automação industrial é o uso da tecnologia para automatizar a realização de tarefas para otimizar a cadeia produtiva. Esse processo vem se desenvolvendo ao longo dos anos e já acontece em muitos segmentos, como transportes, manufatura, energia etc.

Com isso, é possível ganhar autonomia na fabricação, reduzindo o tempo de produção das mercadorias. Portanto, trata-se de uma medida eficaz para otimizar a produtividade da sua indústria.

Contudo, a necessidade de automatizar tarefas repetitivas começou há muito tempo. No século XVIII, apareceram os primeiros dispositivos semiautomáticos. 

Mas só no século XX, a ideia se espalhou pela manufatura, quando começaram a surgir as máquinas totalmente automatizadas. O comando numérico e os sistemas de controle são alguns exemplos desses mecanismos. Desse modo, a produção aumentou, garantindo mais mercadorias sem perda de qualidade.

A partir da década de 1970, os computadores passaram a exercer a função de controlar  sistemas de automação. Com o desenvolvimento da capacidade de processamento, os sistemas se tornaram mais rápidos e eficientes, permitindo o crescimento da escala de produção e a redução de custos.

A indústria 4.0, conhecida como quarta revolução industrial, impulsiona a automação industrial. Tecnologias como inteligência artificial e a computação em nuvem facilitam o gerenciamento de tarefas e o aprendizado de máquina. Então, hoje em dia, a automação não é exclusiva do chão de fábrica, mas também passa por uma série de tarefas administrativas.

Portanto, alguns objetivos da automação industrial são:

  • Aumento do volume de produção;
  • Redução de custos;
  • Otimização de processos;
  • Aumento da segurança;
  • Maior precisão nas operações.

Níveis de automação industrial

Como explicamos, a aplicação da automação industrial pode ocupar diversos lugares. Sendo assim, podemos considerar 4 tipos de automação:

  • Automação operacional: monitoramento da performance das operações, por meio de máquinas e sensores inteligentes.
  • Automação de controle: inserção de dispositivos programáveis em equipamentos e máquinas que operam de acordo com processos programados.
  • Automação de supervisão: monitoramento e leitura de dados obtidos em sensores e controladores.
  • Automação informacional: integração do fluxo informacional de diferentes camadas de automação industrial, para garantir a organização e o controle das operações.

Por que a automação é importante para a indústria?

O Investimento em automação industrial contribui para a transformação digital da empresa, por meio da integração de dados que auxiliam em uma tomada de decisão mais ágil e assertiva.

Aliar a automação a metodologias ágeis, como o Scrum, pode ajudar na otimização de toda a cadeia produtiva.

De acordo com o estudo Indústria 27, conduzido pela CNI (Confederação Nacional da Indústria),as tecnologias da indústria 4.0 podem levar à redução de custos de R$ 73 bilhões por ano no Brasil. 

Outro estudo da CNI também demonstra que 73% das grandes empresas no Brasil já se encontram na indústria 4.0, ainda que em estágio inicial. Nesse sentido, a automação com sensores para controle de processos é a ferramenta mais utilizada entre as organizações consultadas.

Outro fato é um levantamento da consultoria PwC, que indica que as empresas alemãs esperam aumento de 12% em eficiência pelo investimento na automação industrial.

A internet das coisas é uma das ferramentas que ganham destaque nesse contexto. Um exemplo de uso das novas tecnologias na indústria de alumínio, papel e celulose, que podem usar equipamentos inteligentes para controlar de caminhão fora de estrada, escavadeiras e balanças nas fábricas. 

Sendo assim, alguma vantagens da automação industrial são:

  • Redução de custos;
  • Otimização da qualidade;
  • Maior controle da produção;
  • Diminuição do tempo de produção;
  • Aumento da flexibilidade e produtividade.

Aplicações da automação na indústria

automação-industrial

Diferentes segmentos industriais fazem uso da automação para melhorar os seus processos. Afinal, os gestores já compreenderam que é necessário se adaptar às demandas da indústria 4.0 para garantir o sucesso do negócio. Veja alguns exemplos:

  • Papel e celulose: automações para corte, descascamento de madeira etc.
  • Mineração: processos automatizados para britar minérios e carregar vagões.
  • Química: automações na dosagem de misturas, controle de pH e tratamento de efluentes.

Além disso, todos os segmentos industriais podem contar com automações em outras áreas, como estoque, marketing, financeiro, recursos humanos, entre outras.

Quais são os princípios da automação industrial?

Existem alguns princípios que regem a automação industrial. Eles são as linhas que definem a aplicação do conceito e guiam a sua implementação. Conheça cada um deles:

Interoperabilidade

Este conceito diz respeito à capacidade de humanos, máquinas e sistemas se comunicarem. Para isso, é necessário garantir integração de dados, monitoramento por meio dos dispositivos IoT e conexão por meio de cloud computing.

Descentralização

Em uma organização que automatiza os seus processos, também se prioriza a descentralização das decisões, para que os sistemas possam tomar decisões sem a intervenção humana.

Coleta de dados em tempo real

A coleta e o processamento de dados precisa acontecer em tempo real, para que possam ser analisados pelas equipes. Desse modo, é possível gerar insights para aplicar rapidamente ao negócio.

Orientação a serviço

A diretriz da orientação a serviço trata de dar um passo além na transformação digital da empresa. Dessa forma, implica usar aplicações específicas para monitorar a produção dos dispositivos na fábrica. Além de ler a performance, deve ser possível remodelar o processo produtivo conforme a necessidade dos serviços.

Virtualização

Outro princípio é a virtualização, que permite simulações do ambiente industrial, por meio de sensores interconectados. Com isso, pode-se rastrear e monitorar os processos da fábrica de forma remota.

Modularidade

Este princípio diz respeito à adaptação da tecnologia por meio de módulos, permitindo expansões, reposições e customizações.

Como um sistema de gestão empresarial pode ajudar na automação industrial?

Agora que você já viu como a automação industrial pode aumentar a produtividade do negócio, talvez se pergunte como implementá-la com sucesso. Para isso, você pode contar com um sistema de gestão empresarial, como o ERP, que centraliza os dados da sua empresa em um único lugar.

Desse modo, todas as áreas são integradas, do backoffice ao chão de fábrica. Além disso, há vários módulos que auxiliam no controle das automações da indústria. 

O ERP Korp tem seu foco na indústria, compreendendo todas as necessidades para uma produção eficiente e processos assertivos nos diferentes setores do seu negócio. Ademais, possui diferentes módulos que contribuem para a excelência nos processos industriais. Conheça alguns deles:

  • MRP I e MRP II: garante o planejamento das necessidades e dos recursos para a produção;
  • WMS: permite o gerenciamento de múltiplos depósitos para o sucesso na logística;
  • EDI: proporciona o intercâmbio de dados com muito mais segurança;
  • Flow: solução low code e no code para a rápida customização de fluxos de trabalho.

Saiba mais sobre os módulos do ERP Korp para a indústria!

 

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Letícia Guimarães é professora, publicitária e mestre em Comunicação (UFPR).

ARTIGOS RELACIONADOS

Economia Circular na Indústria: Inovação e Impacto

17 de julho de 2024

Continuar lendo

O que é Montagem Industrial? Saiba tudo sobre!

15 de julho de 2024

Continuar lendo