Você já ouviu as seguintes expressões: “Quarta revolução industrial” ou “Indústria 4.0”? Bem, esses são termos utilizados para denominar os bons resultados obtidos pelas organizações, diante da automatização dos processos industriais.

Entretanto, segundo estudos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), quase 43% das empresas do país classificam a Transformação Digital como não essencial na indústria. Além do mais, apenas 2% do setor aposta nesse modelo de trabalho. A pesquisa pontuou ainda que, o impacto na economia seria de aproximadamente R$ 73 bilhões ao ano, se as indústrias brasileiras adotassem as tecnologias apresentadas pela indústria 4.0.

O que é Indústria 4.0?

Automatizar processos produtivos e interligar digitalmente todos os equipamentos da fábrica em um único sistema, fazem parte da quarta revolução industrial. Portanto, ao aplicar essas ações é possível controlar a produção e tomar decisões assertivas relacionadas às atividades fabris. Assim, tornando-as mais eficientes e rápidas.

As organizações podem criar uma estrutura de controle inteligente e autônoma em todo o fluxo de produção, já que a indústria 4.0 possibilita a conexão entre máquinas e sistemas. Desse modo, as companhias são capazes de agendar manutenções, prever falhas nos processos, além de adaptarem-se rapidamente às mudanças não planejadas da produção.

Aliados da Indústria 4.0

Internet das Coisas

Um dos pilares da indústria 4.0 é a Internet das Coisas. Trata-se da conexão entre dispositivos eletrônicos e objetos físicos, por exemplo: veículos, máquinas, casas, etc. Além disso, o controle desses itens pode ser realizado remotamente, tendência bastante aplicada nesse momento pandêmico. Afinal, viabiliza com eficiência os trabalhos, mesmo em home office.

Big Data

A Big Data é uma nomenclatura usada para definir todo grande volume de informações. Esses dados precisam de uma tecnologia específica correta e segura para a coleta, processamento e análises.

Então, faz-se o uso da Big Data, a fim de compilar todas as informações transmitidas pelos equipamentos, departamentos internos e dados de venda. Por meio desse serviço, a empresa pode fazer análises completas de todo o processo produtivo e o gerenciamento da performance dos setores.

3 principais impactos nas empresas

Veja alguns dos efeitos da indústria 4.0 nas instituições:

1 – Trabalho em tempo real

Combinando a Big Data e a Internet das Coisas, há a possibilidade de coletar, compilar e analisar os dados em tempo real. Dessa maneira, possibilitando o aumento da produtividade e a redução do tempo de produção. Em resumo, a empresa terá um menor custo operacional.

2 – Descentralização
Com a inteligência artificial, algumas decisões podem ser feitas pelo próprio sistema, conforme a necessidade da indústria. Dessa forma, os processos tendem a ser mais precisos e ágeis, além de ocorrer uma descentralização de determinadas responsabilidades na organização.

3 – Segurança das informações

Mediante tecnologias e com o objetivo de armazenar e processar os dados, a indústria 4.0 consegue garantir mais segurança às informações da companhia. Nesse sentido, o armazenamento em nuvem, por exemplo, permite que os arquivos tenham menor risco de ciberataques ou dados corrompidos.

E aí, acredita que a indústria 4.0 pode auxiliar os resultados futuros da sua empresa?
Procure estar sempre atento às novas tecnologias e veja quais delas apresentam um bom custo-benefício para sua instituição. Bora seguir rumo à evolução?