Gargalo de produção: o que é, como identificar e resolver

PUBLICADO POR:

Giovanna CipulloGiovanna Cipullo

ATUALIZADO EM:

07 de Maio de 2024

Você já se perguntou por que, mesmo com investimentos em tecnologia e treinamento, algumas fábricas ainda enfrentam dificuldades em atingir suas metas de produção? A resposta pode estar escondida no gargalo de produção, esse vilão silencioso sabota a eficiência e a produtividade. 

Neste artigo, iremos nos aprofundar nos gargalos de produção, desvendar suas características, aprender a identificá-los e, o mais importante, descobrir estratégias para superá-los.

O que é um Gargalo de Produção?

Imagine uma rodovia de alta velocidade que, de repente, se estreita para uma única faixa. O fluxo de veículos desacelera, e o trânsito se acumula. No contexto industrial, o gargalo de produção é esse estreitamento: um ponto no processo produtivo que limita o ritmo geral, causando atrasos e reduzindo a eficiência. 

Ele pode ser um equipamento que opera abaixo da capacidade, um processo que demanda mais tempo ou até mesmo a falta de mão de obra qualificada.

Como Identificar um Gargalo de Produção?

Identificar gargalos de produção é um passo crucial para melhorar a eficiência e a produtividade em qualquer ambiente industrial. Para te guiar, siga o passo a passo para ajudá-lo a identificar esses obstáculos:

Passo a passo para identificar gargalo de produção

Passo 1: Análise de Fluxo de Produção

Comece observando seu fluxo de produção. Identifique onde ocorrem atrasos e se há estoques intermediários crescendo ou máquinas frequentemente ociosas à espera de trabalho.

Passo 2: Utilização de Ferramentas de Análise

Use ferramentas como o Diagrama de Ishikawa e/ou Teoria das Restrições para investigar as causas raízes dos atrasos. O mapeamento de fluxo de valor também pode ser útil para visualizar onde os processos estão sendo interrompidos. 

Passo 3: Identificação de Padrões

Procure por padrões nos atrasos. Por exemplo, eles sempre ocorrem em determinados momentos do dia ou com certas máquinas?

Passo 4: Análise de Dados

Reúna e analise dados de produção. Isso pode incluir tempos de ciclo, taxas de defeitos e tempos de inatividade da máquina. 

Passo 5: Consulta com a Equipe

Converse com sua equipe. Eles podem ter observações valiosas sobre onde os gargalos ocorrem.

Passo 6: Teste de Soluções

Uma vez identificados os gargalos, teste soluções em pequena escala antes de implementá-las em toda a linha de produção.

Lembrando que a identificação de gargalos é um processo contínuo. À medida que sua operação muda e cresce, novos gargalos podem surgir. Portanto, é importante revisitar regularmente esse processo de identificação.

Estratégias para Resolver Gargalos de Produção

Depois de identificar os gargalos de produção, o próximo passo é desenvolver e implementar estratégias para resolvê-los. Aqui estão algumas estratégias eficazes:

1. Aumento da Capacidade do Recurso Gargalo

Uma maneira direta de abordar um gargalo é aumentar a capacidade do recurso que está causando o gargalo. Isso pode envolver a aquisição de mais equipamentos, a contratação de mais pessoal ou a otimização do uso do recurso existente.

2. Redistribuição da Carga de Trabalho:

Se a carga de trabalho puder ser redistribuída de recursos com alta capacidade para recursos com capacidade não utilizada, isso pode aliviar o gargalo.

3. Otimização dos Processos

Muitas vezes, os gargalos são o resultado de processos ineficientes. Ao revisar e otimizar esses processos, é possível aumentar a eficiência e eliminar os gargalos.

4. Manutenção Preventiva

A manutenção preventiva regular pode garantir que os equipamentos estejam sempre em condições ideais de funcionamento, reduzindo a probabilidade de gargalos causados por falhas de equipamentos.

5. Treinamento e Desenvolvimento da Equipe

O treinamento adequado pode garantir que a equipe esteja preparada para operar eficientemente, reduzindo a probabilidade de gargalos causados por erros humanos.

6. Definição de KPIs de Produção

Definir indicadores-chave de desempenho (KPIs) pode ajudar a monitorar a eficácia das estratégias implementadas e identificar áreas para melhorias futuras.

Lembre-se, a resolução de gargalos é um processo contínuo. À medida que sua operação muda e cresce, novos gargalos podem surgir. Portanto, é importante revisitar regularmente essas estratégias e adaptá-las conforme necessário para manter a eficiência da produção.

Tipos e Causas de Gargalo de Produção mais Comuns

Na indústria, os gargalos de produção podem ser classificados em dois tipos principais: os gargalos físicos e gargalos operacionais.

Nesse contexto, algumas causas comuns de gargalos incluem:

  • Problemas Operacionais: Isso pode incluir máquinas com defeito, tempos de configuração longos, entre outros.
  • Problemas Humanos: Isso pode ser devido à falta de mão-de-obra especializada, uma equipe desmotivada, falta de treinamento, etc.
  • Problemas Externos: Isso pode incluir problemas com fornecedores, regulamentações governamentais, etc.
  • Problemas no Chão de Fábrica: Isso pode ser devido a um layout de fábrica ineficiente, falta de padronização, etc.
  • Problemas no Processo: Isso pode ser devido à velocidade desigual entre os postos de trabalho, falta de um software de controle de produção, etc.

Dessa forma, a eliminação de gargalos de produção envolve a identificação precisa dos gargalos, o entendimento das causas subjacentes e a implementação de soluções eficazes.

Impactos Causados por Gargalos

Os efeitos dos gargalos vão além da produção. Eles podem aumentar os custos operacionais, afetar a qualidade do produto final e prejudicar a satisfação do cliente. Em um mercado competitivo, não resolver gargalos pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso. Veja os principais impactos causados pelos gargalos de produção:

  • Redução da Capacidade de Produção

Gargalos limitam a quantidade de produto que pode ser fabricado, forçando outras áreas da produção a desacelerar para se ajustar ao ritmo do gargalo, o que reduz a eficiência produtiva geral.

  • Aumento dos Custos Operacionais

Gargalos causam inatividade e operações ineficientes, resultando em uso ineficiente de recursos e aumento dos custos operacionais devido a mais horas de trabalho e maior consumo de energia.

  • Impacto na Qualidade do Produto

A pressão para manter a produção apesar dos gargalos pode comprometer a qualidade do produto, levando a erros, defeitos, e custos adicionais com retrabalho e desperdício de materiais.

  • Dificuldades no Cumprimento de Prazos

Gargalos podem atrasar a produção, dificultando o cumprimento de prazos de entrega, o que pode prejudicar a reputação da empresa e resultar em perda de clientes.

  • Efeitos na Flexibilidade de Produção

Gargalos reduzem a capacidade de ajustar a produção às mudanças na demanda, limitando a flexibilidade operacional e a capacidade de responder a oportunidades de mercado.

  • Efeitos nos Funcionários

Os gargalos geram frustração e estresse entre os funcionários, especialmente os que operam perto do gargalo, levando a um ambiente de trabalho menos produtivo e aumento da rotatividade de funcionários.

Exemplos de Gargalos de Produção

Vamos ilustrar com um exemplo: uma linha de montagem de eletrônicos tem um gargalo na etapa de inspeção de qualidade, onde cada peça é meticulosamente verificada. A solução? Implementação de sistemas automatizados de inspeção que aceleram o processo sem comprometer a qualidade.

Outro caso comum é o gargalo de capacidade de armazenamento, onde a produção excede o espaço disponível, causando atrasos na linha. A solução pode passar por uma melhor gestão de estoque ou expansão das instalações.

Para tornar o conceito ainda mais concreto, consideremos um exemplo numérico. Lembre-se que os recursos envolvidos em um processo de produção podem ser máquinas, equipes de trabalho ou centros de trabalho. Neste  sentido, é crucial avaliar a capacidade utilizada e não utilizada de cada um desses recursos para identificar possíveis gargalos.

Portanto, imagine uma situação em que:

  • O recurso A tenha 30% de capacidade não utilizada e 70% de capacidade utilizada. 
  • O recurso B tem 20% de capacidade não utilizada e 80% de capacidade utilizada. 
  • O recurso C tem 40% de capacidade não utilizada e 60% de capacidade utilizada. 
  • O recurso D é o gargalo, pois está com 100% de sua capacidade utilizada.

gargalo de produção

Segundo a Teoria das Restrições, os recursos A, B e C não são gargalos, enquanto o recurso D é o gargalo. Sendo assim, como o recurso D está trabalhando no seu limite e não pode lidar com qualquer aumento na demanda sem causar atrasos, é considerado um gargalo de produção.

Em resumo, entender e resolver gargalos de produção é essencial para manter a competitividade e a lucratividade na indústria. Com a abordagem correta, é possível transformar pontos de estrangulamento em vias de alta performance, pavimentando o caminho para o sucesso contínuo.

Metodologias para Gargalos de produção

Existem algumas metodologias de abordagem já consolidadas que podem te ajudar no processo de identificação, solução e análise dos gargalos de produção. 

Diagrama de Ishikawa

O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama de Espinha de Peixe, é uma ferramenta visual usada para identificar, explorar e exibir as possíveis causas de um problema específico ou qualidade de um sistema.

A cabeça do “peixe” representa o problema que está sendo analisado. As “espinhas” que se ramificam a partir da coluna principal representam as causas potenciais do problema. Essas causas são geralmente agrupadas em categorias maiores para ajudar a organizar e classificar as ideias. As categorias comuns utilizadas são: Materiais, Mão de Obra, Máquinas, Métodos, Medição e Meio Ambiente (conhecidos como os 6Ms).

Portanto, o Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta eficaz para identificar gargalos de produção, pois ajuda a visualizar as diversas causas potenciais que podem estar contribuindo para o problema.

💡 Leia aqui um artigo completo sobre o Diagrama de Ishikawa

Teoria das Restrições

A Teoria das Restrições (TOC) baseia-se na premissa de que todo processo de produção possui pelo menos um gargalo que limita sua capacidade de alcançar mais altos níveis de desempenho. Segundo Goldratt, o foco deve ser colocado na identificação e otimização desse gargalo, pois melhorias em qualquer outra parte do sistema que não o gargalo terão pouco ou nenhum impacto sobre a eficiência geral.

  • Identificação de Gargalos

O primeiro passo na aplicação da TOC é identificar o gargalo no processo de produção. Gargalos podem ser físicos, como uma máquina que opera mais lentamente que o resto da linha de produção, ou administrativos, como um processo de aprovação que atrasa a produção. Ferramentas como a análise de fluxo de processo e a simulação podem ser úteis para identificar esses gargalos.

  • Gerenciamento de Gargalos de Produção

Uma vez identificado o gargalo de produção, a gestão deve focar em maximizar sua eficiência. Isso pode envolver a redução de inatividades, a melhoria da manutenção da máquina, ou a reorganização do trabalho para garantir que o gargalo possa operar continuamente no seu máximo potencial. Dessa forma, a TOC propõe um processo iterativo de melhoria contínua, conhecido como os cinco passos de foco:

  1. Identificar o gargalo: Determinar o recurso que restringe a saída.
  2. Explorar o gargalo: Maximizar a eficiência do gargalo.
  3. Subordinar tudo ao gargalo: Ajustar outros processos para suportar o gargalo.
  4. Elevar o gargalo: Aumentar a capacidade do gargalo se necessário.
  5. Repetir o processo: Se o gargalo foi resolvido, identificar o novo gargalo.
  • Otimização de Gargalos

A otimização de gargalos não termina com a melhoria da eficiência do recurso restritivo; envolve também a revisão contínua de processos e a implementação de melhorias em toda a cadeia de produção. Sendo assim, isso pode incluir o treinamento de funcionários, a adoção de novas tecnologias, e a revisão de práticas de trabalho.

💡 Leia aqui um artigo completo sobre a Teoria das Restrições

Tecnologias e os Gargalos de Produção

Na indústria moderna, a adoção de tecnologias avançadas tem se mostrado fundamental para resolver gargalos de produção, otimizando processos e aumentando a eficiência operacional. Dessa forma, entre as diversas tecnologias disponíveis, os Sistemas de Integrado de Gestão Empresarial (ERP) emergem como facilitadores chave, atuando como o núcleo para a integração e otimização das operações industriais.

O sistema ERP se destaca por sua capacidade de integrar todas essas tecnologias em um framework coeso. Um ERP eficiente não apenas coordena as operações de produção, mas também liga essas operações aos dados vitais de outras áreas da empresa, como inventário, compras, e logística. Portanto, isso permite uma visão holística e em tempo real do processo produtivo, facilitando a identificação rápida de gargalos e a implementação de soluções eficazes.

Através do ERP, os gestores obtêm acesso a informações detalhadas sobre cada aspecto da produção, o que permite uma melhor coordenação entre departamentos. Se um gargalo é detectado, o sistema pode ajudar a reprogramar tarefas, redistribuir recursos ou sugerir alterações no fluxo de trabalho para aliviar o ponto de estrangulamento.

Além disso, outras tecnologias também podem auxiliar com os problemas de gargalos de produção:

  • Automação e robótica
  • Manufatura aditiva (impressão 3D)
  • Tecnologias de informação e comunicação (TIC)
  • Análise de dados e inteligência artificial (IA)
  • Sistemas de monitoramento em tempo real
  • Simulação e modelagem 

Esses são exemplos de tecnologias poderosas que desempenham papéis específicos na mitigação de gargalos. Por exemplo, a automação pode acelerar processos lentos, enquanto a manufatura aditiva pode eliminar atrasos na obtenção de peças. A IA e a análise de dados ajudam na previsão e identificação precoce de potenciais gargalos, permitindo ajustes proativos.

Korp ERP: O Sistema de Gestão Ideal para Identificar e Resolver Gargalos

Agora que você já entendeu o que são gargalos de produção, está na hora de buscar a ajuda necessária para resolver seus problemas. 

O KORP ERP é um sistema de gestão especialista em indústrias com mais de 25 anos de experiência.  Esse ERP industrial foi meticulosamente desenvolvido para atender às especificidades e desafios enfrentados por esse setor. 

Através de uma plataforma que integra e otimiza todos os aspectos da produção, o KORP ERP oferece não apenas uma visão completa e em tempo real das operações, mas também adapta-se continuamente às mudanças e inovações do mercado.

Assim, empresas que escolhem o KORP ERP estão equipadas não apenas para identificar e resolver gargalos de produção de forma eficaz, mas também para melhorar continuamente seus processos, garantindo uma vantagem competitiva sustentável na indústria.

Agende uma demonstração gratuita e entenda o que um bom ERP pode fazer pela sua empresa na prática!

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Formada em Jornalismo e pós-graduada em Assessoria de Imprensa, Gestão de Comunicação e Marketing, atua como coordenadora de marketing na Viasoft Korp.

ARTIGOS RELACIONADOS

Kaizen: o que é e como aplicar na indústria

24 de maio de 2024

Continuar lendo

Galvanização: o que é, tipos e etapas

22 de maio de 2024

Continuar lendo