Código EAN: O que é e como funciona?

PUBLICADO POR:

Giovanna CipulloGiovanna Cipullo

ATUALIZADO EM:

26 de Junho de 2024

Imagine um mundo onde cada produto em uma prateleira de supermercado é identificado manualmente. Parece um pesadelo logístico, não é? Foi exatamente para resolver esse problema que o código EAN (European Article Number) foi criado. 

O que é Código EAN?

O código EAN (European Article Number) é um sistema de identificação numérica utilizado principalmente em códigos de barras para produtos comerciais. 

Amplamente adotado no varejo global, o EAN permite a automação de processos como a gestão de estoques, controle de preços e verificação de produtos nos pontos de venda.

Sendo assim, cada código EAN é único e fornece informações detalhadas sobre o produto, incluindo o país de origem, o fabricante e o item específico. Isso facilita a rastreabilidade e o reconhecimento universal dos produtos, tornando as operações comerciais mais eficientes e precisas.

História e origem do Código EAN

Desenvolvido na década de 1970, o EAN surgiu como uma evolução do código UPC (Universal Product Code),que já era utilizado nos Estados Unidos. A Europa precisava de um sistema próprio, adaptado às suas necessidades, e assim nasceu o EAN.

A iniciativa visava padronizar a identificação de produtos no mercado europeu, promovendo a integração e a eficiência nas cadeias de suprimentos internacionais. 

Com o tempo, o sistema EAN foi adotado globalmente e tornou-se parte integrante dos padrões GS1, que abrangem uma série de normas internacionais para a identificação de produtos, locais e serviços.

Diferença entre o EAN, UPC, EAN-13 e EAN-8

O EAN (European Article Number) e o UPC (Universal Product Code) são sistemas de identificação de produtos que utilizam códigos de barras, sendo amplamente adotados em operações comerciais para facilitar a automação e a eficiência. 

O EAN é mais comum na Europa e internacionalmente, enquanto o UPC é predominante na América do Norte. Além disso, o EAN ainda tem duas variantes principais: EAN-13 e EAN-8. 

O EAN-13 possui 13 dígitos, incluindo um prefixo de país, código da empresa, código do produto e um dígito de verificação. 

Já o EAN-8 é uma versão condensada com apenas 8 dígitos, ideal para produtos de menor tamanho. 

Por outro lado, o UPC tem 12 dígitos e não inclui um prefixo de país, sendo usado principalmente nos Estados Unidos e Canadá. Dessa forma, ambos os sistemas são compatíveis entre si e podem ser lidos por scanners de código de barras em todo o mundo, apesar das diferenças em estrutura e aplicação.

Estrutura e significados do Código EAN

Estrutura EAN-13

codigo-ean-13

O EAN-13 é a versão mais comum do sistema EAN, composta por 13 dígitos, organizados da seguinte forma:

  1. Prefixo do País (3 dígitos)
    • Descrição: Identifica o país onde a empresa fabricante está registrada.
    • Exemplo: “789” indica que o produto é registrado no Brasil.
  2. Código da Empresa (4 a 7 dígitos)
    • Descrição: Atribuído pela organização responsável pela distribuição dos códigos de barras no país. Este código identifica de forma única a empresa dentro do país.
    • Exemplo: “12345” poderia ser o código de uma empresa específica registrada no Brasil.
  3. Código do Produto (2 a 5 dígitos)
    • Descrição: Designado pela própria empresa, identifica de forma única o produto dentro do catálogo da empresa.
    • Exemplo: “67890” pode ser o código de um produto específico, como um determinado tipo de cereal ou bebida.
  4. Dígito de Verificação (1 dígito)
    • Descrição: Calculado com base nos outros 12 dígitos para garantir a precisão e a integridade do código. Ele ajuda a evitar erros de leitura.
    • Cálculo: O dígito de verificação é calculado usando um algoritmo específico que soma e multiplica os outros dígitos de forma alternada, para que qualquer erro na leitura seja facilmente detectável.

Estrutura EAN-8

O EAN-8 é uma versão compacta do EAN-13, composta por apenas 8 dígitos. Ele é utilizado para produtos pequenos onde um código de barras maior não seria prático. Sua estrutura é a seguinte:

  1. Prefixo do País (2 a 3 dígitos)
    • Descrição: Indica o país de registro da empresa fabricante, semelhante ao EAN-13.
    • Exemplo: “45” pode indicar um produto registrado no Japão.
  2. Código do Produto (4 a 5 dígitos)
    • Descrição: Atribuído pela empresa, identifica de forma única o produto.
    • Exemplo: “1234” poderia ser o código para um pequeno item como um lápis ou uma goma de mascar.
  3. Dígito de Verificação (1 dígito)
    • Descrição: Calculado para garantir a precisão do código, similar ao EAN-13.

Significados de cada parte do Código EAN

  • Prefixo do País: Identifica o país de registro do fabricante, essencial para a rastreabilidade global.
  • Código da Empresa: Exclusivo para cada empresa dentro de um país, garantindo a identificação única de cada fabricante.
  • Código do Produto: Define cada produto de forma única dentro do catálogo da empresa, essencial para a gestão de estoque e automação de vendas.
  • Dígito de Verificação: Assegura a integridade e a precisão do código, reduzindo erros de leitura e garantindo confiabilidade no uso.

Em resumo, compreender essa estrutura detalhada é crucial para a correta implementação e utilização dos códigos EAN, garantindo eficiência e precisão nas operações comerciais.

Funcionamento do Código EAN

O funcionamento do código EAN pode ser entendido através de várias etapas:

1. Atribuição do Código

  • Registro da Empresa: Uma empresa que deseja utilizar códigos EAN deve se registrar com uma organização de códigos de barras, como a GS1. A GS1 é a entidade responsável pela atribuição dos prefixos de país e códigos de empresa.
  • Obtenção do Prefixo de País e Código da Empresa: Após o registro, a empresa recebe um prefixo de país (os primeiros 2 a 3 dígitos) e um código de empresa (os próximos 4 a 7 dígitos).

2. Geração do Código do Produto

  • Designação do Código do Produto: A empresa designa um código de produto único para cada item que fabrica. Este código pode ter de 2 a 5 dígitos, dependendo do comprimento do código da empresa.
  • Criação do Código Completo: O código completo forma-se pela combinação do prefixo de país, código da empresa e código do produto.

3. Cálculo do Dígito de Verificação

  • Algoritmo de Verificação: O dígito de verificação (o último dígito do código) é calculado usando um algoritmo específico. O algoritmo envolve somar os dígitos em posições ímpares e pares, multiplicar alternadamente por 1 e 3, somar os resultados e ajustar o total para o próximo múltiplo de 10.
  • Verificação de Precisão: O dígito de verificação assegura que o código seja lido corretamente, reduzindo a chance de erros de leitura.

4. Impressão e Aplicação do Código de Barras

  • Impressão: Converte-se o código EAN em um padrão de código de barras, que pode ser impresso em etiquetas ou diretamente nas embalagens dos produtos.
  • Aplicação: Aplica-se o código de barras EAN nos produtos de modo que scanners possam lê-lo facilmente.

5. Leitura e Processamento do Código

  • Escaneamento: Nos pontos de venda ou durante o controle de estoque, os produtos são escaneados utilizando leitores de código de barras. O scanner lê o padrão do código de barras e decodifica o número EAN.
  • Identificação: O número EAN decodificado é processado pelo sistema de gestão do ponto de venda (POS) ou sistema de gerenciamento de inventário, identificando o produto de forma única.
  • Automação: A leitura automática do código EAN permite a atualização imediata do estoque, aplicação de preços e registro de vendas, aumentando a eficiência e precisão das operações comerciais.

6. Integração com Sistemas de TI

  • Sistemas de Gestão: Os códigos EAN integram-se aos sistemas de gestão empresarial (ERP), possibilitando a sincronização de dados de produtos, estoque e vendas.
  • Análise e Relatórios: É possível analisar os dados capturados pelos códigos EAN para gerar relatórios de vendas, monitorar estoques e planejar logística.

Aplicações do Código EAN

Os códigos EAN são onipresentes em várias indústrias, desempenhando um papel crucial em diversas aplicações.

No varejo, eles facilitam a gestão de estoque e o controle de preços, permitindo que os comerciantes monitorem com precisão a disponibilidade dos produtos e ajustem os preços de forma eficiente. 

Na logística, os códigos EAN melhoram significativamente o rastreamento de produtos e a eficiência operacional. Ao utilizar códigos de barras EAN, as empresas de logística podem rastrear mercadorias ao longo de toda a cadeia de suprimentos, desde a fabricação até a entrega final, garantindo que os produtos cheguem aos destinos corretos no tempo previsto. 

No setor de saúde, os códigos EAN garantem a rastreabilidade de medicamentos e dispositivos médicos, ajudando a prevenir erros e garantindo que os pacientes recebam os produtos corretos. 

Dessa forma, a utilização dos códigos EAN em embalagens de medicamentos e dispositivos médicos permite uma verificação rápida e precisa, promovendo a segurança e a conformidade com as regulamentações. 

Em resumo, os códigos EAN se mostram indispensáveis em várias indústrias, contribuindo para a automação, precisão e eficiência em operações essenciais.

Benefícios do Código EAN

O uso do código EAN (European Article Number) oferece uma série de vantagens cruciais para operações comerciais, impactando positivamente a gestão de estoque, controle de preços e rastreamento de produtos.

Na gestão de estoque, o EAN permite:

  • Automação dos processos de inventário.
  • Atualização em tempo real das quantidades em estoque.
  • Prevenção de rupturas e excessos, economizando tempo e reduzindo erros.

No controle de preços, o EAN garante:

  • Precisão na precificação.
  • Flexibilidade para atualizações rápidas.
  • Aplicação automatizada de promoções e descontos.

No rastreamento de produtos, o EAN facilita:

  • Rastreamento completo ao longo da cadeia de suprimentos.
  • Agilidade em respostas em caso de recalls.
  • Verificação da autenticidade dos produtos, combatendo falsificações.

Essas vantagens aumentam a eficiência operacional, proporcionam informações sempre atualizadas e garantem um melhor controle e visibilidade sobre todos os aspectos das operações comerciais, beneficiando tanto empresas quanto consumidores.

EAN, RFID e QR: Futuro e desafios dos códigos de barras

Ao discutir o futuro e a evolução dos códigos de barras, é crucial considerar não apenas o papel tradicional do código EAN, mas também as novas tecnologias que estão moldando o cenário atual e futuro.

O código EAN, conhecido por sua capacidade de otimizar a gestão de estoques e facilitar o controle de preços e rastreamento de produtos, continua sendo uma pedra angular das operações comerciais. No entanto, avanços significativos estão sendo feitos com tecnologias como RFID (Radio-Frequency Identification) e QR (Quick Response).

RFID

RFID oferece uma abordagem revolucionária ao permitir a identificação e rastreamento de produtos sem necessidade de contato direto. Isso não só melhora a eficiência na cadeia de suprimentos, mas também reduz erros operacionais ao possibilitar o rastreamento em tempo real e a gestão automatizada de inventários.

Por fim, apesar dos desafios iniciais, como custos e interoperabilidade, RFID está evoluindo rapidamente, com avanços em miniaturização de tags e integração com sistemas IoT.

QR code

Por outro lado, QR codes emergiram como uma ferramenta versátil, facilitando desde pagamentos móveis até campanhas de marketing interativas. Sua capacidade de armazenar uma grande quantidade de informações em um espaço pequeno e ser facilmente acessível por smartphones impulsionou sua popularidade em diversos setores, incluindo varejo, saúde e educação.

O futuro dessas tecnologias promete ir além da simples identificação e rastreamento. Espera-se uma integração mais profunda entre RFID, QR codes e outras inovações tecnológicas. Essa convergência não só aumentará a eficiência operacional, mas também abrirá novas possibilidades em personalização de experiências de cliente e análise de dados em tempo real.

No entanto, à medida que essas tecnologias avançam, surgem desafios adicionais, como a necessidade de segurança de dados e conformidade com regulamentações de privacidade. Para superar esses obstáculos, empresas, governos e especialistas em tecnologia precisarão colaborar para garantir a implementação ética e eficaz dessas inovações.

Conclusão

Em resumo, o código EAN é uma ferramenta poderosa que revolucionou a forma como gerenciamos produtos e estoques. Com uma história rica e um futuro promissor, ele continua a ser uma peça fundamental na engrenagem do comércio global. E quem sabe, talvez um dia, ao escanear um produto no supermercado, você se lembre de toda a complexidade e inovação por trás daquele simples código de barras.

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Formada em Jornalismo e pós-graduada em Assessoria de Imprensa, Gestão de Comunicação e Marketing, atua como coordenadora de marketing na Viasoft Korp.

ARTIGOS RELACIONADOS

O que é Metrologia?

01 de julho de 2024

Continuar lendo

Inteligência Artificial na Indústria: Entenda tudo sobre!

27 de junho de 2024

Continuar lendo