Diversas empresas integram os sistemas PLM e ERP e conseguem potencializar os resultados corporativos. O primeiro tem o objetivo de auxiliar na gestão de forma completa em relação ao desenvolvimento de produtos e processos. Por outro lado, o ERP simplifica a administração da cadeia de suprimentos, desde o setor de estoque até a área financeira.

Neste artigo, veja o que é PLM e como esse gerenciamento funciona em paralelo ao ERP.

O que é PLM?

O Product Lifecycle Management (PLM) que significa, em português, Gerenciamento do Ciclo de Vida do Produto é um conjunto de soluções e processos. O objetivo como próprio nome sugere é realizar a gestão dos produtos da empresa.

Para funcionar adequadamente, o PLM faz uso de algumas ferramentas tecnológicas, a fim de gerar um banco de dados colaborativo. Assim, é possível controlar todo o ciclo de vida de qualquer produto. Nesse banco de dados ficam guardadas as informações sobre a criação do item, desenvolvimento, produção e distribuição.

Por meio do PLM, os departamentos da indústria podem compartilhar os dados de cada área e essas informações ficam concentradas em uma única plataforma. Portanto, há uma integração efetiva de dados, processos, estratégias e pessoas.

Diante desse canal único, contendo todas as informações sobre os processos de produção, os gestores e colaboradores têm acesso rápido aos arquivos digitais, facilitando a rotina de trabalho. Além do mais, o PLM permite uma visão 360º sobre os processos de elaboração do produto.

PLM x ERP

O PLM está mais voltado à idealização e planejamento do produto, já o Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP) trata da execução, ou ainda, da fabricação do produto. Dessa forma, são totalmente compatíveis.

Além disso, o PLM passa por todo o processo de criação e design do produto e tem foco na união dos componentes da mercadoria. Já o ERP dá apoio ao gerenciamento nos aspectos de qualidade e controle de gastos do produto em todas as suas fases. Sem falar que ajuda no controle da movimentação de materiais — estoque, produção e logística.

Por que integrar PLM e ERP?

Ao manter essa dupla, o setor de Pesquisa e Desenvolvimento minimiza os custos relacionados à correção de erros e retrabalho. Mas, logicamente, para que todos os processos funcionem de modo apropriado, os dados de ambos os sistemas devem permanecer integrados.

Sem as informações do PLM, possivelmente o software ERP manterá dados imprecisos sobre o projeto e engenharia, assim, colocando em risco a gestão do produto e o planejamento financeiro. Ao unir PLM e ERP, as chances são maiores de fazer a entrega das mercadorias em perfeitas condições, desde o conceito de design até a comercialização.

Essa integração dos sistemas possibilita que a indústria mantenha a rapidez em diversas atividades, como: custo, entrega, qualidade da mercadoria, entre outras. Portanto, a companhia potencializa a inovação, melhora a produtividade e impulsiona os resultados gerais.

A companhia adquire ainda uma série de vantagens, entre elas: uma melhor eficiência, redução de gastos, ampla visibilidade de projetos e produtos, minimização de riscos, maior satisfação do cliente, etc.

Se a sua empresa pretende integrar o PLM ao sistema ERP, conheça todas as possibilidades do Korp ERP, um sistema especializado em indústrias. Saiba mais!

E aí, ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar uma experiência relacionada a esse assunto? Então, não deixe de enviar seu recado nos comentários.