Manter o controle patrimonial em ordem e em dia é uma das tarefas primordiais de toda indústria. Sendo que, o sistema ERP é uma excelente ferramenta para realizar esse controle, possibilitando que os processos contábeis permaneçam em conformidade com a lei.

Além disso, por meio do ERP (Enterprise Resource Planning), a empresa consegue fazer análises completas dos processos contábeis e fiscais, avaliar resultados, entre outras funcionalidades. A seguir, entenda em detalhes o que é controle patrimonial e como o ERP pode ajudar nesse trabalho.

O que é controle patrimonial?

O controle patrimonial é o gerenciamento dos patrimônios corporativos (bens mensuráveis e físicos, e intangíveis).

Ao gerenciar todos os dados sobre os bens da empresa, a equipe pode gerar relatórios financeiros de acordo com as normas vigentes. Dessa forma, a indústria garante a segurança e credibilidade dos processos e serviços.

Ao realizar o controle patrimonial de maneira efetiva:

  • Mantenha a segurança jurídica, evitando problemas com o Fisco e com o Poder Judiciário;
  • Tenha um controle eficiente da análise de lucros e possíveis prejuízos;
  • Realize o planejamento para a preservação dos patrimônios;
  • Diminua os riscos de desvios de recursos e roubos de bens;
  • Evite investimentos desnecessários;
  • Entre diversos outros benefícios.

De que maneira realizar o controle patrimonial?

Tecnologia na indústria: ERP para o controle patrimonial

O primeiro passo para fazer um controle patrimonial eficiente é contar com uma tecnologia de ponta a fim de gerir os dados e processos relacionados aos patrimônios. O software ERP ajuda com as informações e históricos contábeis e fiscais referentes aos bens corporativos, centralizando-os em um único local.

O ERP também ajuda na integração e compartilhamento de dados entre os setores. Sem falar que, as informações além de confiáveis, estão disponíveis em tempo real para que os gestores possam elaborar análises robustas e tomar melhores decisões.

O Viasoft Korp ERP ajuda as indústrias com a gestão do setor financeiro, contábil e fiscal, por meio da troca de dados relevantes. Então, controle os ativos da companhia com tranquilidade, incluindo as entradas, saídas, depreciações de máquinas e equipamentos, além de depreciação linear, acelerada, incentivada, gerencial, reavaliações e custos atribuídos.

Se você quer conhecer os módulos do Viasoft Korp ERP, clique aqui. Caso prefira entrar em contato com um dos consultores, envie uma mensagem ou ligue e tire todas as suas dúvidas e aproveite para conhecer a fundo o sistema.

Inventário dos bens

Após encontrar uma tecnologia adequada que ajude no controle patrimonial, elabore uma lista com os ativos da indústria por meio de inventário. Lembrando que a checagem precisa ser periódica e constante, pois ao longo do tempo, os materiais vão sendo alugados, vendidos, trocados de lugar ou sofrem alguma outra mudança.

Avaliação dos ativos

Assim que contar todos os materiais, é o momento de identificar o valor de cada patrimônio. Isso inclui a comparação do valor do item na atualidade e de modo residual, isto é, o tempo estimado de vida útil.

Análise da vida útil

Avalie e revise a vida útil dos bens descritos no inventário para manter um gerenciamento patrimonial eficaz. Nessa etapa, estime o tempo que ainda resta de uso de cada item e preveja em quanto tempo será necessário investir em um novo bem.

Conciliação dos aspectos físicos e contábeis

O próximo passo é fazer um comparativo entre os dados prescritos na base contábil e as informações do inventário físico. Essa etapa de conciliação é essencial para o controle dos materiais. Além do mais, depois disso, a empresa consegue criar três relatórios importantes: patrimônios conciliados, sobras contábeis e sobras físicas.

Em seguida, algumas companhias realizam ainda o Teste de Impairment (Teste de Recuperabilidade do Ativo). Nesse sentido, há uma avaliação geral dos bens, a fim de verificar se estão desvalorizados. Ou seja, se o valor contábil exceder o valor justo, a empresa terá que contabilizar o resultado e registrar baixa.

Você tem alguma dúvida sobre o uso do ERP no controle patrimonial? Então, deixe seu recado nos comentários ou em nossas redes sociais.