CFOP: veja o que é a tabela e suas principais aplicações

PUBLICADO POR:

Giovanna CipulloGiovanna Cipullo

PUBLICADO EM:

20 de abril de 2023

CFOP é a sigla para Código Fiscal de Operações e Prestações, um código numérico utilizado na emissão de notas fiscais para identificar o tipo de operação comercial realizada entre empresas.

O CFOP é composto por quatro números e cada um representa uma informação específica sobre a operação, como, por exemplo, se é uma venda de mercadoria dentro do estado ou para outro estado, se é uma devolução de mercadoria, entre outras possibilidades.

Esse código é importante para fins de controle fiscal, pois permite que os órgãos competentes possam identificar as operações realizadas pelas empresas e calcular os impostos devidos em cada transação comercial. Além disso, o correto preenchimento do CFOP na nota fiscal é fundamental para evitar problemas com a fiscalização e garantir a regularidade fiscal da empresa.

No artigo, explicaremos o que é a tabela CFOP, como ela funciona e as suas principais aplicações, de acordo com os seguintes tópicos:

  • O que é a Tabela CFOP?
  • Quais são os códigos da tabela CFOP?
  • Como a tabela CFOP é organizada?
  • CFOP e o setor industrial
  • CFOP como ferramenta de gestão
  • Diferença entre CFOP e Natureza da Operação da Nota Fiscal
  • Como usar um sistema de gestão em conjunto com o CFOP?

O que é a Tabela CFOP?

A tabela CFOP é uma lista que contém todos os códigos fiscais de operações e prestações utilizados na emissão de notas fiscais, com suas respectivas descrições e informações sobre as operações que eles representam.

Dessa forma, a tabela é padronizada em todo o território nacional e é utilizada por empresas de todos os segmentos e tamanhos, para garantir o correto preenchimento das notas fiscais e evitar problemas com a fiscalização.

Quais são os códigos da tabela CFOP?

A tabela CFOP é composta por mais de 200 códigos, que representam as diferentes operações comerciais realizadas entre empresas. Desse modo, alguns exemplos dos principais códigos CFOP são:

  • 1.102: Compra para comercialização
  • 2.102: Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros
  • 2.202: Devolução de venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros
  • 5.102: Transferência de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros
  • 5.401: Transferência de bem do ativo imobilizado
  • 5.403: Transferência de material para uso ou consumo
  • 6.101: Lançamento efetuado a título de simples faturamento decorrente de venda para entrega futura
  • 6.601: Remessa para conserto ou reparo de bem do ativo imobilizado
  • 6.949: Outra saída de mercadoria não especificada
  • 7.102: Prestação de serviços de comunicação a contribuinte ou não
  • 8.102: Transporte de mercadoria por conta de terceiros
  • 9.101: Remessa para armazém geral ou depósito fechado

Cada CFOP tem uma função específica e deve ser utilizado de acordo com a natureza da operação comercial realizada. Portanto, a escolha do código correto é fundamental para que os impostos sejam calculados corretamente e para evitar problemas com a fiscalização.

Por isso, é importante que as empresas conheçam bem a tabela CFOP e as operações que cada código representa, para que possam preencher corretamente as notas fiscais e manter a regularidade fiscal de seus negócios.

Como a tabela CFOP é organizada?

Atabela CFOP está disponível na internet e se organiza em grupos numéricos de quatro números que representam as diversas operações comerciais realizadas por empresas. Dessa forma, a numeração segue a seguinte estrutura:

Grupo de CFOPDescrição
1xxxEntrada de mercadorias ou aquisições de serviços
2xxxSaída de mercadorias ou prestação de serviços
3xxxOperações que não envolvem entrada ou saída de mercadorias, como remessas em garantia ou transferências internas
5xxxOperações que envolvem transferência de mercadorias entre estabelecimentos do mesmo titular
6xxxOperações que envolvem outras entradas ou saídas de mercadorias ou bens
7xxxOperações com serviços de comunicação
8xxxOperações com serviços de transporte
9xxxOperações com serviços diversos

 

Além disso, cada grupo numérico é subdividido em subgrupos, que indicam a natureza das operações. Os subgrupos da CFOP são uma divisão mais detalhada da classificação de operações e serviços prestados, e são representados pelos dois últimos dígitos da numeração da CFOP. Então, conheça os subgrupos!

Entrada de mercadoria ou aquisição de serviços:

CFOPs com final 00. Representam as operações de entrada de mercadorias ou aquisição de serviços, como compras de matéria-prima, insumos ou serviços.

Saída de mercadoria ou prestação de serviços:

CFOPs com final 50. Representam as operações de venda de produtos ou prestação de serviços, como a venda de produtos acabados ou a realização de serviços.

Devolução de mercadoria ou anulação de serviços:

CFOPs com final 20. Representam as operações de devolução de mercadorias ou anulação de serviços previamente adquiridos.

Transferências de mercadorias:

CFOPs com final 60. Representam as operações de transferência de mercadorias entre estabelecimentos de uma mesma empresa, ou entre empresas do mesmo grupo.

Cada subgrupo possui diversas subdivisões, que permitem uma classificação mais detalhada das operações e serviços prestados. Ademais, a organização facilita a identificação dos códigos CFOP adequados para cada operação realizada pela empresa.

CFOP e o setor industrial

Os Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOP) estão diretamente ligados com diversos processos do setor industrial, já que a maior parte dos códigos se relaciona com operações que envolvem a produção, a comercialização e a distribuição de produtos industriais.

Na indústria, os códigos CFOP são utilizados para classificar operações como compra de matéria-prima, produção de bens, venda de produtos acabados, entre outras. Confira alguns exemplos de códigos relacionados ao segmento industrial:

1.101: Compra para industrialização

1.102: Compra para comercialização

1.201: Devolução de compra para industrialização

1.202: Devolução de compra para comercialização

2.101: Venda de produção do estabelecimento

2.109: Venda de produção do estabelecimento, destinada à Zona Franca de Manaus ou Áreas de Livre Comércio

5.401: Transferência de produção do estabelecimento em venda à ordem

5.403: Transferência de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros em venda à ordem

5.501: Venda de produção do estabelecimento remetida anteriormente em consignação industrial

5.502: Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros remetida anteriormente em consignação industrial

6.101: Remessa de produção do estabelecimento para industrialização por conta e ordem de terceiros

6.404: Retorno de mercadoria remetida para venda fora do estabelecimento, em consignação industrial

6.501: Industrialização efetuada por outra empresa – retorno de mercadoria remetida para industrialização

6.901: Remessa para conserto ou reparo de bem do ativo imobilizado

7.201: Venda de bem do ativo imobilizado

CFOP como ferramenta de gestão

O uso dos CFOP como ferramenta de gestão é importante para as empresas, pois permite uma melhor organização das informações e maior controle das operações realizadas. Ao utilizar os CFOP corretamente, é possível saber com clareza a natureza de cada operação realizada, o que facilita a emissão de notas fiscais e o cálculo de impostos.

Por meio disso, as empresas podem identificar oportunidades de melhoria em seus processos, além de conseguirem avaliar o impacto das mudanças fiscais e tributárias em suas atividades. 

Outra vantagem da utilização correta dos CFOP é em relação a gestão tributária, já que ele permite a identificação de erros na emissão de notas fiscais e na classificação das operações. Portanto, um bom gerenciamento evita problemas com o fisco e multas por irregularidades. 

Além disso, eles possibilitam a análise dos custos envolvidos em cada operação e a identificação de oportunidades de redução de despesas, uma vez que a empresa terá um controle mais efetivo sobre seus processos e poderá identificar onde está gastando mais do que deveria.

Por fim, os CFOP também são importantes para a gestão financeira da empresa, pois permitem o registro correto das operações fiscais no sistema contábil e facilitam a conciliação bancária, uma vez que é possível identificar as operações realizadas e os valores envolvidos.

Diferença entre CFOP e Natureza de Operação da Nota Fiscal

O CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) e a Natureza da Operação são dois conceitos distintos, mas complementares, que estão presentes em uma nota fiscal.

Sendo assim, o CFOP é um código numérico composto por quatro dígitos que identifica a natureza da operação ou prestação de serviços realizada pela empresa, em relação à circulação de mercadorias ou serviços. Ele é utilizado para fins fiscais e tributários, e serve para classificar as operações realizadas em diferentes categorias.

Já a Natureza da Operação é uma descrição textual que complementa a informação contida no CFOP, descrevendo de forma mais detalhada a natureza da operação que está sendo realizada. Desse modo, ela pode ser livremente definida pela empresa, desde que esteja de acordo com as disposições legais e fiscais.

Por exemplo, o CFOP 5102 representa a saída de mercadorias por venda, enquanto a Natureza da Operação poderia ser “Venda de Produtos XPTO para Consumidor Final”. Assim, o CFOP é um código padronizado utilizado em todo o país para identificar a operação fiscal, enquanto a Natureza da Operação é uma descrição mais detalhada, que ajuda a identificar o tipo de operação de forma mais clara e específica.

Portanto, uma Nota Fiscal pode conter mais de um código CFOP mas não pode ter duas Naturezas de Operação. 

Como usar um sistema de gestão em conjunto com o CFOP?

Ter o controle de tantas informações e regulações assim pode parecer uma missão impossível. Por isso, a tecnologia é uma peça fundamental para auxiliar nos processos empresariais.

Contar com um sistema de gestão que integre todas as áreas da empresa em um único lugar já é um grande passo para manter as operações sob controle, e neste caso não é diferente. Veja algumas formas que um ERP pode auxiliar no controle fiscal do CFOP:

Padronização 

Um sistema de gestão permite que as CFOP sejam padronizadas, facilitando a emissão de notas fiscais e evitando erros de digitação. A padronização também auxilia no controle das informações fiscais e tributárias, tornando a gestão mais eficiente e evitando possíveis problemas com o fisco.

Automação

Um ERP pode automatizar processos relacionados às CFOP, como a geração automática de notas fiscais, a validação de informações, o cálculo de impostos e a emissão de guias de recolhimento. Desse modo, a automação reduz a possibilidade de erros e melhora a eficiência dos processos.

Controle de estoque 

Um sistema de gestão permite o controle do estoque de forma integrada com as operações de compra e venda, permitindo que as CFOP sejam atualizadas automaticamente com as movimentações de estoque. Portanto, evita problemas de descompasso entre as informações contábeis e fiscais.

Relatórios e análises

Um ERP pode gerar relatórios e análises que auxiliam no controle das CFOP, permitindo a identificação de possíveis problemas ou oportunidades de melhoria. Esses relatórios podem incluir informações como o volume de vendas por CFOP, o valor dos impostos recolhidos e a inadimplência de clientes.

Conclusão

O CFOP possui códigos numéricos para identificar o tipo de operação comercial realizada em uma nota fiscal. Desse modo, a sua atribuição auxilia o controle fiscal e sempre precisa ser feita de modo correto.

Para que as suas operações sejam eficientes, é necessário contar com o apoio da tecnologia. Um sistema de gestão empresarial, como o ERP, centraliza todas as informações da sua empresa em único lugar, garantindo a padronização e automação dos processos operacionais.

Como você viu, existem muitos detalhes para estudar na área fiscal para garantir o sucesso da sua indústria. Então, continue aprendendo sobre o setor industrial e o uso da tecnologia no Blog Korp!

Cadastre-se em nossa newsletter

Please wait...

Obrigado por se inscrever!

COMPARTILHE

Publicado por:
Formada em Jornalismo e pós-graduada em Assessoria de Imprensa, Gestão de Comunicação e Marketing, atua como coordenadora de marketing na Viasoft Korp.

ARTIGOS RELACIONADOS

Margem de contribuição: entenda o que é e como calcular

31 de dezembro de 2023

Continuar lendo

Análise DuPont: entenda esta ferramenta financeira

29 de dezembro de 2023

Continuar lendo