Analisar a capacidade produtiva da indústria é uma ação necessária, a fim de elaborar um planejamento estratégico adequado. Além disso, por meio dessa avaliação fica mais fácil adequar a produção às necessidades do mercado.

Uma baixa eficiência produtiva quando comparada à demanda, por exemplo, representa a urgência em realizar alterações e melhorias na produção. Por outro lado, se a demanda é menor que a capacidade de produção, isso mostra a necessidade de investimentos na prospecção de novos clientes.

A seguir, entenda o que é capacidade produtiva e como analisar este indicador na indústria.

O que é capacidade produtiva?

Esse indicador demonstra o fluxo operacional da fábrica. Ou seja, mostra a quantidade máxima de produtos que uma empresa é capaz de fabricar, dentro de um período determinado e com o menor custo possível.

Veja esse exemplo: a capacidade de fabricação de uma empresa de geladeira é de 100 unidades por dia, portanto, a expectativa de produção na semana é de 700 geladeiras.

O ideal é buscar um nível de produção compatível com a demanda do mercado. Então, estabeleça um equilíbrio entre custo e benefício, assim não haverá dificuldade com a falta ou excesso de estoque.

Como determinar a capacidade produtiva?

Existem várias maneiras de analisar e definir o indicador na indústria. Confira os conceitos mais aplicados nas empresas, atualmente:

Instalada

Essa metodologia é hipotética e tem o objetivo de auxiliar nas decisões gerenciais. Na capacidade produtiva instalada é determinado o volume máximo de produção, ignorando as perdas, paradas de máquinas ou qualquer outro contratempo.

Por exemplo: a produção de geladeira, por hora, é de 20 unidades. Sendo assim, em um turno de 24 horas, a produção seria de 480 unidades.

Efetiva

Na produtividade efetiva, diferente da instalada, são considerados diversos fatores para o planejamento de possíveis perdas, como: setup de máquina, manutenções, turnover, etc.

Então, se a indústria de geladeira opera em um turno diário de 8 horas e, dentro desse período, tem uma pausa de manutenção de 30 minutos, em vez de 480 minutos totais no turno, serão 450 minutos disponíveis de fabricação.

Com isso, é possível determinar a produtividade efetiva da fábrica. No exemplo de 20 unidades por hora, a “produtividade efetiva” dessa fábrica é de 150 geladeiras.

Realizada

Nesse modelo, a equipe considera as perdas que não são previstas na capacidade efetiva. Isto é, aqueles problemas que ocorrem sem a previsão do time de planejamento. Exemplos: quebra de equipamentos, falta de energia, retrabalho por falta de qualidade, entre outros.

Uma maneira de calcular essas perdas é mediante a análise do histórico das ocorrências registradas na indústria. Assim, a equipe estipula a produtividade realizada.

Software de gestão para análise da capacidade produtiva

Uma ótima alternativa para determinar a capacidade produtiva da sua fábrica é com a ajuda de um sistema de gestão industrial.

Com o Viasoft Korp ERP é possível integrar e identificar a real capacidade produtiva dos equipamentos e máquinas, postos de trabalho, processos industriais e muito mais. Veja as possibilidades do sistema, clique aqui.

Caso tenha dúvidas ou queira compartilhar sugestões, envie seu comentário pra gente. Vamos conversar!